Para as pessoas sem deficiência a tecnologia torna as coisas mais fáceis.
Para as pessoas com deficiência, a tecnologia torna as coisas possíveis.

– Mary Pat Radabaugh, Diretora na IBM para Suporte à Pessoas com Deficiência (1991)

Chamamos de tecnologia assistiva (TA) qualquer instrumento, objeto, equipamento, produto que foi modificado ou personalizado para manter ou melhorar as capacidades de uma pessoas com deficiência.

Apesar da “tecnologia” na sua definição, este termo se refere à qualquer recurso ou ação que se preste para este fim. Seja uma colher com o cabo curvado, teclados adaptados, textos em braile ou softwares especialmente desenvolvidos para a acessibilidade. Todas as iniciativas que permitam que pessoas com deficiência tenham autonomia, independência e qualidade de vida devem ser vistas como tecnologias assistivas. No fundo o objetivo desta área de conhecimento é promover a inclusão social.

Existe uma classificação das tecnologias assistivas descrita por Rita Bersch, fisioterapeuta e diretora do CEDI (Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil) e José Tonolli, ATACP 1998 (Assistive Technology Applications Certificate Program) para ajudar a entender melhor cada uma destas necessidades:

Auxílios para a vida diária

Recursos que auxiliam na autonomia e independência das tarefas rotineiras como comer, vestir-se, tomar banho e outras necessidades diárias. Talheres, abotoaduras, barras de apoio, suportes são exemplos desta categoria.

Comunicação aumentativa e alternativa

Equipamentos que atendem pessoas que não conseguem escrever ou falar. Recursos como teclados, vocalizares, pranchas, cartões utilizados pelas pessoas para expressar suas vontades e sentimentos.

Acessibilidade ao computador

Hardwares e softwares especialmente desenvolvidos para tornar o computador acessível à pessoas com deficiências sensoriais, intelectuais e/ou motoras. Mouses, teclados, impressoras, sensores de movimento e acionadores (como o PENSO) estão nesta categoria.

Controle de ambiente

Recursos que ajudem o usuário a ligar e desligar aparelhos, receber e fazer chamadas telefônicas, abrir e fechar janelas. Tudo que possa dar autonomia e independência para a pessoa com deficiência controlar seu espaço, seja em casa ou no trabalho.

Projetos arquitetônicos

Planejamentos de espaços urbanos que possam garantir o acesso e mobilidade à todas as pessoas com deficiência. São adaptações e reformas com rampas, elevadores, banheiros que retiram ou reduzem barreiras para estas pessoas.

Próteses e órteses

Equipamentos que substituem (próteses) partes do corpo ou melhoram e corrigem o posicionamento e a estabilidade (órteses) delas. São talas, apoios e membros artificiais – tecnológicos ou não. Na maioria dos casos são feitas sob medida para o paciente.

Adequação postural

Recursos para a pessoa melhorar seu conforto e postura. São almofadas, encostos, assentos e posicionadores para dar mais estabilidade e prevenir deformidades corporais.

Auxílios de mobilidade

São aparelhos que ajudam na movimentação das pessoas com deficiência: bengalas, andadores, muletas, cadeiras de rodas e qualquer outra tecnologia que auxilie na mobilidade destas pessoas.

Auxílios para cegos ou baixa visão

Equipamentos como lupas (manuais ou eletrônicas), impressões em relevo, softwares de reconhecimento e leitura de texto são recursos de tecnologia assistiva desta categoria.

Auxílios para surdos ou com déficit auditivo

Recursos que auxiliam na comunicação destas pessoas como softwares de reconhecimento de voz, aparelhos auditivos, sistemas de alerta visual e sistemas de legendas automáticas (closed captions)

Mobilidade em veículos

Qualquer adaptação ou projeto que possibilite à pessoa com deficiência dirigir um automóvel. São elevadores, rampas e adequações no carro para permitir a condução somente com as mãos por exemplo.

Esporte e Lazer

Adaptações e recursos que favoreçam a prática esportiva e a participação das pessoas com deficiência em atividades de lazer.

 

Cadeirante sorrindo com um tablet na mãoNo fim das contas, o maior objetivo na tecnologia assistiva é promover a independência e a autonomia das pessoas com deficiência, igualando ou aproximando suas habilidades à pessoas sem deficiência. Seja na comunicação, na mobilidade, no trabalho, no aprendizado ou no lazer.

 

Saiba mais sobre tecnologia assistiva no site International Alliance of Assistive Technology Information e no Portal Brasil acompanhe nosso blog para ficar sempre por dentro do assunto!