O Glaucoma é uma doença oftalmológica que se detectada cedo e tratada não deve gerar danos à visão. Ela consiste em um descontrole da pressão intraocular que, se elevada prejudica o nervo ótico provocando a redução do campo visual e a perda da qualidade de visão.

Foi detectado Glaucoma em mim quando tinha 13 anos. Desde então eu cuido e monitoro religiosamente meus olhos entre colírios e cirurgias para que a doença não se desenvolva. Mas somos humanos e nem sempre nosso corpo se aplica às regras.

Em 2016 assisti uma visão inteira minha sendo mastigada pelo Glaucoma numa velocidade estonteante, a despeito de toda atenção e cuidado que sempre tive para preservar a minha visão. Já desconstruí muita coisa para construir uma nova vida. Velhos hábitos foram deixados de lado. Eu não enxergo mais como antes. Alguns matizes de cores ja se foram. O HD da visão também… Eu enxergo o mundo em pixels. Mas a despeito dessa chateação toda ainda digo que está tudo bem… Se há alguma coisa incrível que vive na gente, é a força de vontade. Ela sempre surge de lugares que se desconhece e tudo continua… Tenho 41 anos e calculo estar só na metade da vida. É triste? Sim, muito! Mas a vida há de continuar boa!

O amor é uma das forças mais bonitas e fortes que existem e faz a vida continuar valendo a pena!

O amor é uma das forças mais bonitas e fortes que existem e faz a vida continuar valendo a pena!

Não estou cega e nem pretendo ficar. Mas sim, tenho a visão bastante reduzida. Muitas pessoas de visão perfeita veem o mundo de forma reduzida. Sei disso. Mas a questão aqui não é a poesia da vida, e sim o quanto ela é bonita para ser vista e apreciada.

Alertas não competem apenas ao sistema de saúde e aos meios de comunicação. Acredito que não exista nada mais forte que um “caso” real, que pode estar bem ao lado de vocês. Por isso decidi estreiar a minha participação neste blog me abrindo com vocês… É a minha obrigação ética enquanto humana e portadora do Glaucoma revelar o quanto os perigos da doença são reais. Por favor compartilhem essa mensagem e cuidem- se para que a vida continue entrando bela através dos olhos de vocês!

Não se preocupe… Não vou ficar escrevendo coisas “deprês” e nem sobre o glaucoma. Afinal, nós somos maiores que nossos problemas e não o contrário não é mesmo?

Até breve!


Raquel Alves

Raquel Alves aprendeu muito cedo que nada na vida é definitivo. Nem as coisas boas e nem as ruins. Tudo pode mudar, a qualquer momento. Graduada e pós graduada em Arquitetura e Urbanismo, em 2014 deixou seus 15 anos de carreira para presidir o Instituto Rubem Alves, disseminando e eternizando o legado de seu pai, o escritor Rubem Alves.

Posts Relacionados

Colunas

A Culpa é de Quem?

Acabo de conhecer uma pessoa inesperada. O Guedes chegou aqui por que eu precisava que consertassem a fechadura da porta da sala e ele me deu uma lição de vida. Primeiro por que minha primeira Leia mais…

Colunas

Meu conselho

Quer me fazer feliz? Arruma uma mesa em um boteco qualquer e me convida. Se você é deficiente como eu e tem esse mesmo gosto, aqui vai um conselho, NUNCA INGIRA BEBIDA ALCOÓLICA EM UM Leia mais…

Colunas

Balde de tolerância

Não sei se isso acontece com vocês, mas têm coisas que pertencem à chamada “vida adulta” que eu, definitivamente, não sei lidar; a principal delas é o RG. Tenho certeza que Deus se enganou; as Leia mais…